Preciso confessar que andava bem em dúvida sobre o primeiro tema do meu texto. Pelo o que entendi esse texto inicial era uma espécie de entrevista de emprego, e daquelas entrevistas que primeiro querem separar os malucos dos normais, sabe? Afinal de contas ninguém quer trabalhar com malucos.

Quando fui convidado, imediatamente surgiu na minha cabeça escrever qualquer coisa sobre conformismo, tema que domino muito bem, obrigado, e que provavelmente será objeto de análise em um futuro próximo. Mas algo se fez mais urgente quando vi surgir o grupo do Teoremas no Whatsapp. Antes de tudo preciso dizer que odeio grupos, aquele sem número de mensagens, o “bom dia” com muitas exclamações, as imagens sem graça seguidas de “kkkk”, “hahaha” e “poakspoakspoaks” (quem ainda ri assim?) nunca me atraíram. Entretanto existia alguma coisa diferente nesse grupo, eles começaram se apresentando, empolgados e nem sei exatamente o porquê, mas senti alguma verdade naqueles discursos. O que me leva a pergunta que intitula esse texto já muito longo: por que escrever um blog? O que eles querem? Por que andam tão engajados? Não pode ser por vaidade, esperança de reconhecimento, fama e essas coisas. Também não é por dinheiro, ninguém nos prometeu nada além de duas mariolas. Então por que dedicar tempo a isso? O que une esses 8 desconhecidos em torno de um projeto? Logicamente eu não tenho respostas pra essas questões, nunca tive. Inclusive eu sou muito bom em fazer perguntas, nunca em dar respostas. Mas me deixem pelo menos elaborar uma teoria, uma espécie de teorema, se me permitirem piada tão previsível.

Vocês estão diante de alguns inconformados, insatisfeitos, rompedores do silêncio.  De uma gente que não suporta ou nunca suportou o comodismo, que quer te provocar a pensar, a debater, a questionar. Confesso que a ideia de mudar o mundo nunca me agradou, é boazinha demais e eu sempre fui do #teamCérebro, queria mesmo era dominar o mundo. Mas como não dizer que “mudar o mundo” é o nosso objetivo? A gente não quer fazer alguma coisa diferente? Não quer contagiar pessoas, tirar da zona de conforto e transformar nem que seja um pouco as suas vidas? Mas só assim dá pra mudar o mundo? Ué, mexendo numa pequena parte não se altera o todo? Mesmo assim um chato retornaria à pergunta: mas pra que um blog? Pra mim esse é o espaço ideal, acessando o blog parece que você está pedindo a nossa opinião, chamando a gente pra meter o bedelho também. As redes sociais deram a falsa impressão de que lá somos ouvidos. Besteira! Rede social é o lugar pra falar sozinho com um monte de gente. A resposta final seria a seguinte: escrever um blog é uma forma de se tornar relevante. Não há nada mais insuportável do que o sentimento de mediocridade, de viver e simplesmente passar, de ser esquecível. Todo mundo tem uma opinião, todo mundo precisa ser ouvido e quisera eu que mais gente se juntasse pra fazer barulho.

Enganei-me enormemente na frase que encerra o primeiro parágrafo desse texto. Na verdade é justamente em busca dos anormais que eles estão, os normais jamais se coçariam para fazer um blog.