Seja em uma festinha da escola organizada pelas tias do jardim, uma descrição para aquele álbum de montagens especiais aos amigos no antigo Orkut, textões com homenagens para você e outras 44 pessoas na publicação do Facebook ou mensagens enviadas no mesmo formato a todos os contatos no whatsapp, o trecho “amigo é coisa pra se guardar debaixo de sete chaves” sempre é lembrado em primeira mão como um hino de celebração à amizade.

Enquanto no Brasil, o Dia do Amigo é celebrado em 20 de julho, o Dia Internacional da Amizade segue o calendário da Organização das Nações Unidas (ONU), promovendo uma comemoração entre todos os povos apenas dez dias depois.

O fato é que a “Canção da América”, composta por Milton Nascimento e Fernando Brant em 1979, está entre lugares e pessoas todos os dias. E se não está, deveria. Afinal, do mesmo modo que a vida não vale a pena sem a família, ela também não agrega valor sem as amizades e as trocas de experiências. Se até aqui, você concorda com o que eu disse, é sinal de que sempre haverá uma boa desculpa para celebrar a amizade ao longo dos 365 (ou 366) do ano.

Brincadeiras e nostalgias à parte, o Pela Rua perguntou a oito “teorentrevistados” sobre o que, para eles, é a comemoração ideal para reunir os amigos e amigas amanhã:

Elias Paiva, que parece integrante do Teoremas de Bar, porém não é, indica:

1. mesa-de-bar

Créditos: Campo Grande News

À essa altura, todos sabem de cór que o Teoremas de Bar surgiu em uma mesa de bar. Apenas por próprio gosto e sem nenhuma intenção por trazer a nossa origem à tona, o professor Elias Paiva, de 25 anos, diz, sem nem pensar duas vezes, que a  mesa de bar é o lugar ideal para encontrar os amigos em qualquer circunstância. “Acredito que o melhor lugar para passar o dia do amigo seja na mesa de bar. É lá que eu gosto de conversar com os amigos, e acredito que é onde as pessoas costumam ser mais sinceras”.

Tamiris Aimée, que detalha cada ambiente como se fosse o de sua própria casa, indica:

2. Imperator

Imperator – Centro Cultural João Nogueira / Créditos: Agência O Globo

Um lugar para chegar, sentar, tomar um café, assistir a um filme, ver uma exposição e ficar no terraço colocando a conversa em dia. Poderia ser a sua, a minha ou a casa da assistente administrativa Tamiris Aimée, de 24 anos, mas são apenas as atividades que o Imperator – Centro Cultural João Nogueira oferece diariamente. “É um ambiente muito amigável, muito familiar e está sempre cheio de gente lá, se divertindo, esperando o tempo passar. No início da galeria, antes de entrar no Imperator, há uma placa de concreto com a assinatura dos artistas famosos que já fizeram show ali, uma exposição permanente do João Nogueira, toma um lanche, um café, numa ‘lanchonetezinha’ muito agradável. No segundo andar, você pode ir ao cinema, são salas boas, em 3D e tudo mais. Subindo pro terceiro andar, tem sempre uma exposição de fotos, muito bonitas, e um espaço pra você ficar ali conversando na exposição… e por que não, né?”

Diego Amaral, que mantém os laços familiares como primeira opção, diz:

3. Pao-na-casa-dos-pais

Créditos: Folha Vitória

Entre os que são adeptos às comemorações da data, o projetista e empresário Diego Amaral, de 25 anos, cede a sua vez para colocar a sua família como primeira opção. Ele diz que prefere ficar em casa, fazer um churrasco, jogar detetive, andar de bicicleta ou tomar uma cerveja. “Eu não tenho o hábito de comemorar o dia do amigo. Tenho amigos de pensamentos distintos, distantes”. Mesmo assim, ele transformaria a data como razão para estar com os pais em um dia de semana. “À tarde, com pão da Padaria João Pinheiro, em Piedade, ao lado do Tramela, e levar para comer na casa dos meus pais, com café feito na hora. É o melhor pão do mundo, e o misto com ovo é sensacional. O dono morreu jovem, mas o legado do pão com mandioquinha foi mantido”.

Isabela Reis, que não põe regras quando o que importa são as companhias, indica:

4. feira-de-sao-cristovao

Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas – Feira de São Cristóvão / Créditos: Site Descontei

De cara e ao lado dos que esbanjam diversão, a jornalista Isabela Reis, de 22 anos, não hesitou em revelar a sua preferência para a “quarta-feira dos amigos”: Feira de São Cristóvão. Um programa barato e que, para ela e para os seus, todos se divertiriam. “Você pode sentar em um lugar pra jogar conversa fora, comer uma boa comida ou até mesmo soltar a voz num karaokê, trazendo risadas eternas. Acredito que por ser um local mais ou menos versátil, é ideal para passar um dia com os amigos. Se você quiser sentar e beber uma cerveja, dá pra fazer isso. Se quiser assistir um show, também consegue e se quiser cantar, o preço é bem justo”.

Rafael Brito, que triplica a fome com a vontade de comer entre amigos, diz:

5. pizza-e-amigos

Revista Pilates

“Crente quando não tá na igreja, tá comendo, gente. Esse povo come muito! A vida social de crente é comer”. Para os amigos e para Rafael Brito, de 30 anos, assistente administrativo do no Instituto de Terras do Rio de Janeiro, órgão vinculado à Secretaria de Estado do Meio Ambiente, o dia 20 de julho pode ser completo em um lugar que tenha… comida. “Restaurante, pizzaria, massas é o que eu curto. Provavelmente numa Papizzo aí da vida, ou um rodízio de pizza barato, porque a crise tá matando cachorro a grito”. Ele, que é ‘magrelinho’, ainda completa: “A minha mente é de gordo e dos meus amigos também. Mesmo os que não são gordos têm a mente de gordo. Então, lugar que tenha comida é lugar ideal. As fotos em que nós estamos felizes normalmente nós estamos com alguma coisa na mão, comendo ou escondendo na bochecha”.

Lívia D’Ambrósio, a moça das sugestões bem definidas da zona norte, indica:

6. parque-madureira

Agência O Globo / Parque Madureira

“Um lugar onde o samba de raiz e o verdadeiro charme da zona norte do Rio se encontram”. Não são palavras proferidas nas dicas do Pela Rua de quinta-feira, mas sim, pela estudante e estagiária de Jornalismo Lívia D’Ambrósio, de 24 anos, que traz o Parque Madureira como recomendação não só para o 20 de julho, como também para o fim de semana. “Não há nada melhor que comemorar essa data, mesmo que no último dia da semana, no parque Madureira curtindo um pagodinho do grupo Estylo de Ser. Todo domingo, às 18h, entre os quiosques 100%, Na Batida e samba e Raiz, sempre rola pagodinho diferente, logo na entrada do parque que é o coração de Madureira”.

Vinícius Magalhães, que nos faz acreditar que não há lugar certo para comemorar a data, diz:

7. lugar-que-represente-amizade

“Um lugar que represente a amizade” / Créditos: M de Mulher

Já o fotógrafo Vinícius Magalhães, de 25 anos, define como lugar ideal um que represente a amizade, podendo ser válido um parque de diversões, um shopping, uma viagem de amigo. Mais ainda se for com aquele amigo de infância, trazendo as boas lembranças à memória. “Tudo depende muito, a gente sempre tem muitos amigos, mas temos aqueles que nunca vamos abrir mão. E se for pra comemorar junto, porque não em um lugar onde rimos bastante, nos divertimos e ficamos sem vontade de voltar pra casa? Dá pra se reviver lembranças quando o assunto é amizade, né! Por isso, acho que o local tem sempre que ser o que mais marcou o ciclo de amizade”.

Grazielle Alves, que deseja preencher o livro da vida com mais uma página inesquecível, indica:

8. play-city-nova-américa

Playcity Nova América / Créditos: Peixe Urbano

Quando o assunto for unir infância, juventude e fase adulta em um só lugar, a quase jornalista Grazielle Alves, de 25 anos, soube, em poucas palavras, descrever sua justificativa pelo Playcity, agora no Shopping Nova América, para deixar marcado o dia do amigo: “Creio que o parque de diversões seja um destino ideal para comemorar essa data tão especial. Um lugar repleto de adrenalina misturado com boas risadas são combinações perfeitas que ficam registradas na memória e seladas no coração. Melhor do que curtir é poder compartilhar esses momentos com aqueles amigos que são pura parceria nesse livro chamado vida”.

Com mais um ‘Pela Rua’ especial, só nos resta desejar muitas amizades inspiradoras e verdadeiras para todos nós! <3