Teoremistas leitores quanto tempo , hein? Depois de me ausentar por um tempo, voltei  e estava sentindo saudades de compartilhar minhas descobertas pelo mundo da literatura e  hoje venho trazer uma historia que tenho certeza que vocês vão se viciar tanto quanto eu, vamos lá?!

Marguerite é filha de dois renomados físicos. No ápice de sua carreira, eles acabam por conseguir concretizar a teoria de que, na verdade, o que existe não é apenas um mundo, e sim mundos – várias dimensões com as mais diversas realidades – com a brilhante invenção do Firebird uma máquina que permite que as pessoas tenham acesso a estas dimensões – quando uma tragédia acontece. Seu pai acaba sendo assassinado e ela junto com Théo, que é um dos assistentes de seus pais, resolve sair em busca do assassino em várias dimensões diferentes, encontrando uma nova versão de si mesma em cada uma delas. Espera! Ficou um pouco confuso para você? Calma. Agora, vamos esclarecer alguns pontos, para que essa mini sinopse comece a fazer algum sentido.

Quando o pai de Marguerite é assassinado, seu outro assistente Paul Markov é o principal suspeito, pois o Firebird original e os arquivos do projeto são roubados, e quando isso acontece movida pela raiva e o luto ela parte nessa caçada por ele, só que as coisas acabam não acontecendo exatamente como planejado. Em cada mundo ela encontra não só uma nova versão de si mesma, como também um novo Paul, sendo que, a cada a “novo” Paul, ele vai mostrando não ser a pessoa fria e cruel que teria coragem de planejar a morte de uma das pessoas que mais lhe deu apoio na vida. Não posso falar mais detalhes da historia, pois o menor spoiler (e eu sou a rainha deles) acabaria com o encanto que a historia tem.

Toda forma de arte é outra maneira de ver o mundo. Uma nova perspectiva, uma nova janela. E a ciência… é a janela mais espetacular de todas.

Claudia Gray abusa nos detalhes que, além de enriquecerem a trama, são pontos importantes para o desfecho do livro. Apesar de tantos termos físicos aparecerem, a leitura não se torna chata, nem mesmo confusa. E a coisa toda de dimensões? Ela é explicada de maneira tão simples e direta que sem dar conta já conseguimos entender tudo!  Mesmo que seja o primeiro livro da série, a história não fica somente na introdução dos personagens e dos problemas a serem enfrentados nos próximos livros, a autora optou por começar com muitas aventuras, reviravoltas e um final que necessita uma continuação, intercalando com momentos do passado de da protagonista que vão dando forma ao quebra-cabeça. Todos os personagens são muito bem construídos e a cada dimensão somos apresentados a um detalhe na personalidade deles que ao final nos mostra quem eles são de verdade

Leva tempo para se apaixonar realmente por alguém. Mas acredito em momentos. O momento em que você descobre a verdade sobre alguém e vislumbram a verdade dentro de você.

Portanto, vou resumir tudo o que eu falei aqui: essa é uma história MUITO bem escrita, que vai agradar todos que gostam de aventura e ficção científica com aquele quê de seriado de suspense (com uma dose boa de romance). Recomendo muito, me diverti demais lendo esse livro e acho que, como esse foi só o primeiro volume, essa trilogia tende a fazer muito sucesso aqui no Brasil, assim como faz lá nos EUA.