Sim, sim, sim, crianças! É véspera de WFV e chegou a hora de detalhar um pouco mais o que rola nas duas noites de celebração da música livre.

Como vocês sabem, a turma do festival sempre convida artistas famosos pra abrir e fechar cada noite. Nesse ano, Maneva e Pitty participam do primeiro dia, e Onze:20 e Monobloco + Fernanda Abreu encerram o segundo. Por mais que sejam gigantes em todos os outros momentos do ano, em 7 e 8 de julho esse pessoal não vai passar de coadjuvante. O protagonismo mesmo vai pras 20 independentes. A dinâmica é a seguinte, logo depois do show dos primeiros convidados as bandas concorrentes sobem ao palco e têm até dez minutos pra executar uma música cover e uma autoral. Na cover vale qualquer coisa, artista nacional ou internacional, medley, nova versão, etc. Já a autoral é obrigatoriamente a do vídeo de inscrição.

A fim de facilitar a vida de quem vai curtir de casa ou direto da Fundição, o Teoremas resolveu preparar a listinha abaixo. Apesar de ter uma relação muito parecida no aplicativo do WFV, aqui nós separamos também as canções autorais e as covers defendidas por cada banda, uma playlist dos vídeos de inscrição no YouTube, um link pra fanpage (clique em cima do nome do grupo) e um espaço chamado “bis” onde escrevo uma curiosidade, um dado ou um pretensioso palpite.

A mineira Kapitu, ex-participante do festival, é a banda de aquecimento do primeiro dia de evento. Foto de Vinícius Giffoni.

DIA 7 (na ordem de subida ao palco)

  • Nome: GrooVI;
  • Cidade: Porto Alegre – Rio Grande do Sul;
  • Estilo: Reggae;
  • O que vai tocar: “Dê valor” como autoral e, fazendo mistério na cover, só garantiram que é “algo especial”;

Bis: Eles participaram do Superstar da Globo em 2016 e os algarismos romanos “VI” do nome fazem referência ao New Roots, um estilo eletronizado de reggae.

  • Nome: Vibehouse;
  • Cidade: Santos – São Paulo;
  • Estilo: Reggae + Pop;
  • O que vai tocar: “Verbaliza” como autoral e “Com certeza” do Planta e Raiz.

Bis: Junho foi mês intenso, eles acabaram de lançar “Música Vive”, seu primeiro álbum, e fizeram a divulgação no Balanço Geral Litoral e na Jovem Pan Santos.

  • Nome: Bando Azzul;
  • Cidade: Maceió – Alagoas;
  • Estilo: MPB;
  • O que vai tocar: A beeem dançante “Maracasamba”;

Bis: A banda é capitaneada por Heberth Azzul, artista de currículo vasto. Como compositor já escreveu pra Elba Ramalho e Alceu Valença, como ator participou do Casseta & Planeta, Cilada e Zorra Total, e até entrevista pro Jô ele já deu.

  • Nome: Saci Weré;
  • Cidade: Brasília – Distrito Federal;
  • Estilo: MPB + Rock alternativo;
  • O que vai tocar: Como autoral defendem “Criar criança”, e na cover invocam os poderes de Vinícius de Moraes e Toquinho com “Canto de Oxum”;

Bis: a banda que já se chamou “Novos Calangos”, agora traz o “Saci” como referência à cultura afro-brasileira, ao improviso e à descontração.

  • Nome: Mestre Madruguinha;
  • Cidade: Aracajú – Sergipe;
  • Estilo: Carimbó;
  • O que vai tocar: a maravilhosa “Coração quer mais” e a gringa “Cariñito” da Chicca.

Bis: tocando pela primeira  vez fora do seu estado, provavelmente é a que melhor celebra a mistura de ritmos regionais, tanto brasileiros  quanto latinos. Vale muito a pena ficar de olho.

  • Nome: Seu Ninguém;
  • Cidade: Natal – Rio Grande do Norte;
  • Estilo: Rock;
  • O que vai tocar: “Termidor” e a genial “Ilegal, imoral ou engorda” do Rei e Tremendão.

Bis: “Você não deve nada a seu ninguém”, pensamento epifânico que sobrevoou a cabeça de Luana Alves, ajudou a formar o nome da banda. Com apenas dois anos de formação, por lá todo mundo compõe as canções.

  • Nome: Madame B.;
  • Cidade: Rio de Janeiro – Rio de Janeiro;
  • Estilo: Pop rock;
  • O que vai tocar: A autoral “Parabéns”;

Bis: O nome vem da capitã Bárbara B. que além de vocalista também é compositora da banda. A Madame é famosa pelas releituras de rocks internacionais e nacionais (destaque pra Cazuza, Rita Lee e ORappa).

  • Nome: Fuzzcas;
  • Cidade: Rio de Janeiro – Rio de Janeiro;
  • Estilo: Rock;
  • O que vai tocar: “Eu vou me defender” será a original e um amuleto vem como cover. “Velha roupa colorida” de Belchior ganha uma nova versão;

Bis: assim como a GrooVI, a banda participou do global Superstar e ficou entre as 12 finalistas.

  • Nome: Levante!;
  • Cidade: Salvador – Bahia;
  • Estilo: Rock;
  • O que vai tocar: “Guerreiros da Paz” e a cheia de significado “Os mais doces bárbaros” dos baianos Doces Bárbaros;

Bis: foi a terceira colocada no ano passado e tem no vocalista, Valente Silva, uma energia surreal. Se apresenta momentos antes de Pitty, o que garante casa lotada. Com a força do palco, do público e da experiência, é uma das cinco favoritas desse ano.

  • Nome: Machete Bomb;
  • Cidade: Curitiba – Paraná;
  • Estilo: Rock + samba + rap;
  • O que vai tocar: “Tiro e queda” é a autoral e uma ode à influência escancarada vem no cover. Tem homenagem a Rage Against The Machine.

Bis: Consegue a proeza de fazer um som mais pesado que não ofende os ouvidos e mantém coerência e harmonia. Prevejo prêmio Rádio Cidade.

Listinha de reprodução básica com as bandas que se apresentam no primeiro dia.

DIA 8 (adivinha? Claro que é pela ordem de apresentação)

A também mineira Hey Joe foi a banda revelação do ano passado e abre a noite do dia 8. Foto de Rômulo Nascimento.

  • Nome: Etcoetera;
  • Cidade: Juiz de Fora – Minas Gerais
  • Estilo: Reggae + Pop;
  • O que vai tocar: “Ana Rosa” como autoral e uma mistura de “Quero ser feliz também” com o tema de Sítio do Pica-pau Amarelo.

Bis: Com mais de 45 mil fãs nas redes sociais, belisca no mínimo o prêmio de revelação (apostaria em mais um). Também no reggae pega o público quente de Hey Joe e Onze:20 (de quem são fãs declarados).

  • Nome: Caio Correa e o Baque;
  • Cidade: Rio de Janeiro;
  • Estilo: MPB;
  • O que vai tocar: “O caldo” e “Naticongo” do Natiruts;

Bis: por quase 15 anos Caio Correa embalou os corações adolescentes através da Scracho. Apesar de manter amizade com os outros integrantes, Caio deixa o movimento das “bandinhas” pra trás e, junto com o Baque, entrega um trabalho completamente diferente.

  • Nome: Jerry Matarazzo;
  • Cidade: Rio de Janeiro;
  • Estilo: Pop rock;
  • O que vai tocar: A autoral é “Paz e amor” e PAREM as máquinas na cover. Vem aí uma versão rock and roll de Exaltasamba (“Telegrama”).

Bis: o nome da banda nasceu a partir do pseudônimo adotado pelo pai do vocalista. Através de muita malandragem, e alguma cara de pau, o “verdadeiro” Jerry Matarazzo se passou por deputado, advogado, artista, e acumulou uma série de histórias engraçadas.

  • Nome: Banda Matilda;
  • Cidade: Juiz de Fora – Minas Gerais;
  • Estilo: MPB;
  • O que vai tocar: “Degradê em lua nova”;

Bis: tem fãs tão fiéis que financiou o primeiro álbum através do Catarse.

  • Nome: Mari Blue;
  • Cidade: Rio de Janeiro – Rio de Janeiro;
  • Estilo: MPB;
  • O que vai tocar: “Putrefato” e “Comportamento Geral” do Gonzaguinha;

Bis: Além de atriz e multi-instrumentista, Mari comanda o projeto ultra secreto #acasamuda. Aqui as pessoas reservam lugar para o seu show, mas só são informadas do local depois da compra. Na última edição a apresentação intimista rolou no apartamento dela e ainda foi sucedida de um jantar vegano caseiro.

  • Nome: Mulamba;
  • Cidade: Curitiba – Paraná;
  • Estilo: MPB;
  • O que vai tocar: “Mulamba” e ainda prestam reverência ao ser imaculado que as uniu, Cássia Eller, através de “Top top”;

Bis: A Mulamba é formada exclusivamente por mulheres, incorpora a causa feminista sim e tem na baixista Naíra Debértolis figura experiente em WFV (participou ano passado com a Donna Duo).

  • Nome: Trinato;
  • Cidade: Brasília – Distrito Federal;
  • Estilo: Rap + Rock + Reggae;
  • O que vai tocar: “Bling!” e “Na frente do reto” de ORappa;

Bis: o nome é uma mistura do trinado dos pássaros com o fato de serem “nativos do Cerrado”. São politizados, cada música tem uma pegada diferente e vale MUITO ficar de olho.

  • Nome: Sambotagem Racional;
  • Cidade: Ribeirão Preto – São Paulo;
  • Estilo: Surf Music;
  • O que vai tocar: “Sereia Urbana”;

Bis: Nasceu em cima de uma laje, é parceira da Chavala Talhada, que participou duas vezes do festival, e  o nome significa “Sabote do Samba Feito de Forma Racional”.

  • Nome: Marcelo Brum & Os Da Luz;
  • Cidade: Porto Alegre – Rio Grande do Sul;
  • Estilo: Reggae;
  • O que vai tocar: “Mede suas palavras” e prometem preparar uma releitura “bem peculiar” de Iron Maiden;

Bis: A autoral já foi finalista do Festival de Música de Porto Alegre há anos atrás e agora vai ser testada nos ouvidos cariocas.

  • Nome: Periferia A Massa;
  • Cidade: São Paulo – São Paulo;
  • Estilo: Funk + soul + samba;
  • O que vai tocar: “Deixa o som te levar” e um super medley de Leandro Lehart, Beyoncé e Sandra de Sá. Se preparem pra “Agamamou/ Crazy in love/ Joga fora no lixo”;

Bis: foram segundo lugar no ano passado, a casa vai estar cheia aguardando Monobloco e provavelmente tem coreografia nesse medley. Já devo ter chamado umas três bandas de favorita ao longo dessa matéria, mas dessa vez…

Playlist bacanuda com as bandas do segundo dia.