Brasil e México são dois países latino-americanos que possuem as suas semelhanças. Isso ficou evidente no show “Parte Mía” apresentado pela cantora e compositora Julieta Venegas, na última sexta (21), no Vivo Rio. Ela, que já vendeu mais de oito milhões de discos, canta as dores e os amores da sociedade mexicana, no entanto, suas músicas podem ser facilmente assimiladas com a realidade brasileira.

Dona de oito prêmios MTV Awards, sete Grammy Latino e um Grammy, é a primeira turnê da artista pelo Brasil após o lançamento do disco Algo Sucede em 2015. Apesar disso, na “Parte Mía Tour” ela rebobina toda a sua carreira de um jeito novo. Pela primeira vez, Julieta apresenta um show mais intimista com apenas dois músicos no palco, os talentosos Matías Saavedra e Sergio Silva, mas algumas características permanecem: a voz doce, a sutileza e a habilidade com o acordeão, o piano e o violão, instrumentos revezados ao longo do espetáculo.

Músicos e Julieta Venegas

Com 20 minutos de atraso, Julieta subiu ao palco do Vivo Rio com a casa cheia e fãs ansiosos pelo regresso da mexicana ao estado. O público a recebeu com aplausos e um coro ainda tímido enquanto ela cantava “Ese Camino”, primeiro single do disco mais recente, e “Original”. Em seguida, ela saudou o público em português e disse que iria falar portunhol. “Acho que somos irmãos, Brasil e México. O portunhol é a língua do futuro”.

Em “Ilusión”, quando estava no piano, Julieta engasgou e pediu desculpas. “Não sei o que há com o ar, algo está atravessado aqui”. Seus fãs aplaudiram e riram junto com a cantora demonstrando apoio. Em seguida, a décima faixa da noite seguiu tranquilamente com sua letra forte sobre a violência presente no México.

O primeiro momento de maior entusiasmo do público foi com a sétima faixa, a música “Ilusión”, conhecida no Brasil devido parceria com Marisa Monte. Julieta é uma admiradora confessa da música brasileira e já fez parcerias com Otto, Lenine, Fernanda Takai, Emicida e, agora, Criolo. Os elogios foram recíprocos, ela disse que já conhecia o trabalho realizado por Criolo há anos. Eles apresentaram as músicas “Não existe amor em SP”, maior sucesso do rapper paulista, e “Tiro ao Álvaro” de Adoniran Barbosa. A participação de Criolo fez o público se soltar completamente, deslanchando o show.

A interação com a plateia ocorreu ao longo do show inteiro, pois Julieta explica suas composições, levando o público a esse momento que é tão íntimo para ela. Em “Buenas noches, desolación”, ela canta para espantar a tristeza e trazer otimismo. Antes de “Se explicará”, ela disse que fez a música para a sua filha de oito anos com mensagens positivas diante do caos que está o mundo. Já “Debajo de mi lengua” fala sobre o poder das palavras.

Antes de “Una respuesta”, ela mostrou estar ligada as notícias da crise politica brasileira e comentou sobre a que o México também passa. Em seguida, Julieta ainda completou dizendo “só nós unindo que podemos encontrar respostas pra viver em um mundo melhor.” Nesse momento, gritos de “Fora Temer” ecoaram da plateia para o palco.

Julieta e Criolo

“Essa é para as boas despedidas”. Julieta anunciava a canção “Despedida” e que o show estava chegando ao fim. “Nunca é um adeus, vamos nos ver muito Rio. (…) Nos vemos logo, querido Rio.” Palmas aceleradas do público acompanhavam a batida e o ritmo dos três instrumentistas que estavam no palco. A próxima música seria a última antes do bis. O público, de forma espontânea, levantou-se e ficou colado ao público e cantou “El Presente”.

Com gritos de “volta, volta” (e alguns “vuelve, vuleve”), Julieta regressou ao palco para se despedir com “Esta vez” e “Me voy”, o seu maior sucesso. Sem dúvidas, foi a música mais cantada por todos os presentes na casa de show junto com “Andar Conmigo”, que demonstra toda a pegada da música mexicana e de seu acordeão.

Ao apresentar a “Parte Mía Tour” em quatro cidades brasileiras (além do Rio, ela esteve em Curitiba, São Paulo e Porto Alegre com produção da RompeCabezas), Julieta Venegas vence mais uma vez a barreira linguística, unindo Brasil e México. A cantora, que prometeu voltar em breve, conseguiu imprimir um tom iluminado e otimista a sua apresentação mesmo tratando de assuntos difíceis em algumas canções. A música de Julieta é POP, é atual, é crítica. E o público saiu com vontade de quero mais.

* As fotos são de Fabiany Melo (@fabymelo_ no Instagram)