Pablo Alborán é um dos principais nomes da música espanhola. Ele lançou o seu primeiro disco em 2011 e logo se converteu em um grande sucesso em diversos países da Europa e da América Latina. Agora, ele quer conquistar novos países e é a grande aposta hispânica da Warner Music no Brasil, o que deixa os fãs esperançosos para uma possível vinda do cantor em breve. Alborán, diferente de outros artistas de língua espanhola, pretende atingir sucesso por aqui cantando o seu pop romântico, sem precisar se render ao reggaeton, o gênero do momento.   

Lançado em 17 de novembro, “Prometo” é o quarto álbum de Alborán, mas o primeiro a chegar ao Brasil fisicamente. Esse trabalho marca o retorno do cantor após um período sabático e, segundo ele, é um disco muito honesto sobre seus sentimentos. Ele foi produzido por Julio Reyes, um pianista e compositor colombiano que já trabalhou com outros nomes como Alejandro Sanz, Jennifer Lopez e Nelly Furtado.

“Prometo” é um álbum profundo, intenso e verdade. Sem dúvidas, é o mais caprichado da carreira do malaguenho. Além disso, mostra uma faceta mais ousada do compositor em algumas canções. “No Vaya a Ser”, o primeiro single do disco, por exemplo, tem uma pegada mais dançante, um pop bem latino e o clipe da música não poderia ser diferente. Ele é colorido e divertido.

Pablo Alborán já confessou admirar artistas brasileiros como Ana Carolina, Alcione, Caetano Veloso e Gilberto Gil, além de ter gravado com Tiê. Nesse novo disco, as influências ficam evidentes em uma canção, a música “Al Paraíso” é uma bossa muito gostosinha de ouvir. No disco, há uma versão solo e outra em dueto com a cantora portuguesa Carminho, que vem fazendo tributos a Tom Jobim por algumas cidades brasileiras. Além de Carminho, o disco também conta com a participação de Alejandro Sanz, o grande homenageado da última edição do Grammy Latino, em “Boca de Hule”.

“Prometo”, a música que dá nome ao álbum, reafirma o lado romântico do cantor, assim como “Saturno” e “Tu Refugio”. Já “La Llave”, uma das melhores composições de Alborán de todos os discos, parece mostrar bem a honestidade sobre os próprios sentimentos que o cantor disse estar evidente no CD. “Idiota” é um pop mais comercial e é um das faixas que dá para sair dançando por aí porque tem uma batida agitada. Outros destaques são as canções “Vivir” e “Lo Nuestro”.

Quando lançou “Solamente Tú”, single de estreia em 2010, Alborán apontou com uma grande promessa. Agora, aos 28 anos de idade, ele se afirma com um dos principais nomes da Espanha. Reconhecido pelo seu pop romântico, ele não se prende e experimenta outros ritmos como gêneros mais dançantes. E se for para destacar algo além da voz, as suas composições chamam atenção por serem sensíveis e profundas.  

Em menos de oito anos de carreira, ele já lançou os álbuns de estúdio “Pablo Alborán”, “Tanto”, “Terral” e, agora, “Prometo”, além dos álbuns ao vivo “En acústico” e “Tour Terral”, colecionando músicas nas paradas de sucesso, trilhas sonoras (inclusive no Brasil) e prêmios. Ele já foi indicado em cinco edições do Grammy Latino e uma do Grammy Awards, além de já ter vencido os Prêmios Goya e o Festival Viña del Mar.