Um bom clichê tem o poder de te tirar de um dia ruim e te levar a um mundo onde o amor verdadeiro, finais felizes e almas gêmeas existem. Obviamente esses tipos de filmes podem ter um efeito contrário em alguns telespectadores. Enquanto parte da audiência se enche de expectativa antes de algum diálogo previsível ou não consegue deixar de se animar quando dois protagonistas que se odeiam começam a perceber que existe um sentimento a mais, outros acham tudo muito entediante e lugar comum. “Muito fora da realidade“, alguns comentam também. 

Mas, o que mais me agrada nesses filmes é exatamente a previsibilidade e o ar fantasioso. A vida por si só já é cheia de tristeza e dificuldade. Não, provavelmente eu não vou me apaixonar perdidamente por uma pessoa que eu achava que odiava e me casar com ela – provavelmente aquela pessoa é realmente odiável mesmo – mas qual o problema de acreditar nisso por algumas horas? Acreditar que o amor está nos lugares mais inusitados e pode durar. Apesar desse gênero cinematográfico render boas piadas e paródias, como os filmes Uma Comédia Nada Romântica e They Came Together (super recomendo esse último!), acredito que o poder de curar e entreter de um clichê bem feito beira a magia.

Em uma das minhas pesquisas por comédias românticas, vi um comentário de uma telespectadora da Netflix: ‘Vocês acham que só porque vocês encheram um filme de romance, clichês, diálogos melosos e finais felizes, vão me convencer a assistí-lo? Porque se acham, vocês estão certos.” E, sinceramente, não poderia concordar mais.

1. O Príncipe do Natal (2017)

O último filme que vi do gênero e que me inspirou a escrever essa lista. Dirigido por Alex Zamm e produzido pela Netflix, o longa conta a história de uma jovem jornalista, pouco valorizada pelos seus chefes, que ganha a incrível oportunidade de cobrir a coroação de um polêmico príncipe na Europa, após a morte do rei. Para isso, ela deve deixar seu pai durante o Natal e embarcar nessa jornada atrás de segredos sobre a realeza. A história não poderia estar mais em pauta: espírito natalino – sempre presente em dezembro – e a realeza, cada vez mais comentada graças ao anúncio de noivado do príncipe Harry. Com a exceção de uma ou duas falas um pouco mais “adultas”, o filme é uma ótima pedida para crianças assistirem na época do Natal.

  1. 10 Coisas que Eu Odeio em Você (1999)

Estrelado pelo eterno Coringa, Heath Ledger, e por Julia Stiles, com participação de Joseph Gordon-Levitt, o elenco de peso e a história engraçada e envolvente, faz com que o filme seja uma das comédias românticas mais comentadas dos anos 90. No longa conhecemos Cameron (Gordon-Levitt) que, após seu primeiro dia de aula, se apaixona pela doce Bianca (Larisa Oleynik). O problema é que seu pai superprotetor só deixará Bianca sair em um encontro quando sua irmã mais velha, Kat (Stiles), começar a namorar. Então, Cameron pede ajuda do misterioso e violento Patrick (Ledger). Apesar de Kat e Patrick se odiarem em um primeiro momento, muitas coisas podem acontecer. Vale a pena assistir, nem que seja pela clássica cena em que o personagem de Ledger canta Can’t Take My Eyes Off Of You.

  1. Como se Fosse a Primeira Vez (2004)

Quando Henry Roth (Adam Sandler), um playboy que gosta de sair para conhecer mulheres, se apaixona à primeira vista por Lucy Whitmore (Drew Barrymore), ele mal pode imaginar que a menina sofre de perda de memória recente. Após um acidente, a vida de Lucy parou em um determinado dia. Todas as lembranças que faz depois do acidente, são apagadas no dia seguinte – inclusive a lembrança de conhecer Henry! Mas, o rapaz já está tão apaixonado por ela que resolve tentar meios alternativos de ganhar seu coração. Um daqueles filmes que te faz acreditar na furada de “o amor vence tudo“. De bônus, ainda tem a linda Somewhere Over The Rainbow na trilha sonora.

  1. Como Perder um Homem em 10 Dias (2003)

Andie Anderson (Kate Hudson) trabalha como jornalista em uma revista de moda, mas se frustra com a falta de liberdade para escolher suas pautas, já que a moça preferiria falar de política a comentar os últimos lançamentos de sapatos. Então, sua chefe a oferece uma proposta: ela pode escrever sobre o quisesse, contanto que entregasse uma matéria completa, com direito a trabalho em campo, sobre como perder um homem em 10 dias. É aí que ela conhece Benjamin Barry (Matthew McConaughey) e decide usá-lo como sua cobaia. A jornalista só não contava que Benjamin tinha um objetivo próprio: provar para seus amigos que ele consegue ficar por algumas semanas com a mesma mulher. É com certeza uma das minhas comédias românticas preferidas e, definitivamente, umas das mais engraçadas que já vi.

  1. Um Lugar Chamado Notting Hill (1999)

Se Um Lugar Chamado Notting Hill não fosse um filme de sucesso dos anos 90, eu poderia jurar que foi um roteiro inspirado em algumas fanfics que lia na linha pré-adolescência. Com direção de Roger Michell, o filme nos conta a história de Will (Hugh Grant), dono de uma livraria em Londres, especializada em guias turísticos. Sua vida não poderia ser mais tranquila e pacata, até que sua loja recebe a visita de Anna Scott (Julia Roberts), uma famosíssima atriz americana que está na cidade a trabalho. Depois de mais alguns encontros acidentais, a vida do rapaz vira de cabeça para baixo após conhecer um pouco melhor sobre o perverso universo hollywoodiano. Uma das marcas registradas do filme é a música de abertura, She, cantada por Elvis Costello especialmente para o filme. Sem mais, o longa é lindo do início ao fim!